Press "Enter" to skip to content

TDIC no Ensino de Ciências e Biologia – Oficina

0

No dia 29 de agosto de 2017, o Inovabio forneceu uma oficina sobre Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação no Ensino de Ciências no Centro de Educação. O encontro foi na sala flexível do Centro de Educação da UFPE, que corresponde a sala 3. Ela é totalmente moldável. Mas, primeiramente, o que é são as TDIC? As Tecnologias Digitais de informação e Comunicação (TDIC) não é apenas a internet e sim um conjunto de equipamentos e aplicações tecnológicas, que têm na maioria das vezes a utilização da internet como meio de propagação e que se tornam um canal de aprendizagem. Embora não substituam as tecnologias convencionais (algumas que, independem de internet), que continuarão sendo utilizadas e possuem, cada qual, a sua função. No âmbito da educação, as TDIC podem ser entendidas como ferramentas de suporte e devem ser orientadas segundo os objetivos da educação, pois a obtenção de ótimos resultados depende do contexto da sala de aula para depois definir qual tecnologia se enquadra melhor para alcançar o resultado esperado no processo de ensino e aprendizagem, ou seja, escolher primeiro a tecnologia a ser utilizada nem sempre trará um resultado satisfatório, pois existem vários fatores que devem ser observados. Baseado no pressuposto de inclusão de tecnologias digitais da informação e comunicação para uma aprendizagem mais efetiva e integrada no dia a dia dos alunos os participantes da oficina puderam entender de que forma o Ensino das Ciências pode estar integrado nesta área.

Uma discussão sobre as inovações pedagógicas e as metodologias ativas abriram a oficina, sempre instigando os participantes a definirem o que era cada palavra que era falada. Após a compreensão de que a inserção das tecnologias não representa inovação, mas pode ser um fator diferencial na autonomia da classe do alunado, os participantes puderam utilizar alguns aplicativos e entender sua funcionalidade no tocante à educação e em específico, no ensino de ciências e biologia. O Canva, Soundcloud, Facebook, Youtube, por exemplo. Uma novidade foi abordada na oficina: utilizou-se um recurso chamado óculos de realidade virtual. Esse óculo fornece para os alunos imensas possibilidades acerca de visualização do assunto. Se,  para determinada época, um vídeo representou uma imensa inovação tecnológica e com sua possível adição à educação, para hoje, temos a realidade virtual. Que nada mais é do que entrar dentro do próprio vídeo usando o óculos. A visualização pode ser dada em 360 graus e funciona como uma replica do mundo vivo. É tudo muito real, de fato. 

Quatro ferramentas essenciais foram abordadas na oficina. Imagem, áudio, texto e vídeo. Cada uma com sua funcionalidade e complementando uma a outra. É importante salientar que pequenas ações favorecem uma maior adesão dos alunos pelo fator crucial determinado como contexto. Ouvir um áudio, curtir uma foto, ler uma legenda da foto, visualizar um vídeos, etc. Esse é o dia a dia do aluno do século XXI. Nada mais justo, portanto, que o seu contexto seja levado em consideração. O professor que consegue acessar todas essas informações e processá-las de modo a virar conhecimento, é inovador. O uso dos aplicativos, aqui já citados, possibilitou uma nova visão de como essas áreas interagem com as tecnologias digitais da informação e comunicação. 

O fechamento da oficina foi com mais discussões sobre o contexto atual da educação quando o assunto é tecnologia. Os participantes conseguiram desenvolver um produto no Canva/Soundcloud para mostrar o que aprenderam na oficina ou como seria uma aula partindo deste recurso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *